Notícias

Carmina Hissa: Usina Caeté – Os bastidores e as surpresas de uma adequação à LGPD

Carmina Hissa é colunista do Movimento Econômico/Foto: divulgação

Arquivo publicado no site Movimento Econômico em 11 de janeiro de 2022

Muito se fala sobre adequar a empresa e assim, via de regra, se foca não só na Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, mais também em normas, regulatórios e tudo o que envolve às legislações que são necessárias para a correta adequação.

Mas existe algo muito especial nisso tudo! A fase do mapeamento dos dados, do ciclo de vida e o risco a privacidade, aquele famoso assessment. Para mim, essa é a fase mais especial de todo o projeto de compliance à LGPD, todas as demais fases são consequências dessa, salvo algumas exceções.

É no mapeamento dos dados que ocorrem as entrevistas, o contato com as pessoas, com os bastidores de cada departamento e é exatamente nesta fase que a vida da empresa pulsa e mostra-se plenamente.

Nenhuma planilha é capaz de mensurar a beleza da empresa, sua cultura, seu ‘povo’ (colaboradores, estagiários, aprendizes, clientes, prestadores de serviços, terceirizados e parceiros), seu ritmo, seu impacto na sociedade, sua verdadeira essência!

Não se trata apenas de saber sobre dados pessoais, mas sobre as pessoas que os compõem, sobretudo aqueles que acreditaram no sonho e criaram a empresa! Sem deixar de mencionar aqueles que são selecionados para caminharem e transformarem o sonho em realidade: àqueles que cuidam da privacidade e da proteção dos dados, que estão sob a responsabilidade da empresa.

Quando iniciei o processo de adequação da Usina Caeté, uma das mais tradicionais do setor sucroenergético no Nordeste e uma grande exportadora de açúcar, ainda não conhecia sua alma, seu lado humano e foi assim, mais uma vez que me emocionei e me encantei com uma adequação.

A primeira surpresa foi com o treinamento inicial, realizado presencialmente e transmitido online para todas as Unidades da Usina Caeté. O evento contou com a participação dos gestores, porque ao iniciar o projeto, entendemos como fundamental apresentar a LGPD, de forma simples e didática a todos, do que trata a lei e seus impactos no trabalho de cada colaborador.

Ao chegar ao local, encontrei uma linda e muito bem cuidada unidade de ensino, cuja mantenedora é a Usina Caeté. A Escola Conceição Lyra é repleta de dados pessoais, inclusive de menores, com uma legislação regulatória bem rígida, mas com uma equipe de colaboradores amorosa, crianças felizes e uma linda história cheia de dados pessoais para me presentear!

A Escola Conceição Lyra, que está localizada na área Rural de São Miguel dos Campos, no interior de Alagoas, é um lindo projeto desenvolvido desde 1960 e sem quaisquer fins lucrativos! A escola oferece uma infraestrutura que muitas escolas privadas não possuem, com laboratório de Informática, internet, um refeitório impecável para alimentar o corpo, uma biblioteca para desde cedo estimular a leitura nos pequenos e, alimentar sua alma, quadra poliesportiva, parque Infantil, um pátio aberto e outro coberto para que ali possam desenvolver inúmeras atividades livremente.

Na ‘Escolinha’, como é carinhosamente conhecida, a cultura do cuidado e da importância do meio ambiente é vivenciada e estimulada rotineiramente. A inclusão e acessibilidade aos portadores de deficiência (dados pessoais sensíveis) estão visíveis nos mínimos detalhes. Não falta também o cuidado com o corpo docente e administrativo. E claro, possui um amplo auditório, onde realizei, encantada com a alma da Usina Caeté, o treinamento de todos os gestores, para diversas partes do país, através dos recursos tecnológicos.

Conhecer a história da Escola Conceição Lyra e saber que mais de 15 mil alunos, em sua grande maioria filhos de colaboradores da Usina, já estudaram na instituição e, onde atualmente encontram-se matriculados 451 estudantes, foi muito importante! Não apenas pela quantidade de dados pessoais que precisarão ser mapeados, de acordo com sua finalidade, fundamentados nas bases legais pertinentes e devidamente protegidos física e tecnologicamente, mas pela importância do projeto na vida e destino dessas crianças e jovens.

Contudo, isso era apenas o começo! Nas entrevistas tive o prazer de conhecer alguns profissionais que estudaram na Escola Conceição Lyra e, após a graduação, fazem parte do quadro funcional da Usina Caeté. Ou seja, além de acreditarem na qualidade do ensino que proporcionam, a Caeté dá oportunidade àqueles que participaram, no começo de sua formação, enquanto criança.

Para a empresária Elizabeth Anne Lyra Lopes de Farias, que atuou como educadora na Escola, onde seus filhos Carlos e Cristina também estudaram, o projeto educacional representa um dos mais importantes pilares da Companhia. O investimento retrata o compromisso social com uma educação de qualidade, e que ao longo dos anos vem colhendo resultados significativos de um trabalho sério, realizado por uma equipe dedicada e competente. “Costumamos falar que a Escola Conceição Lyra é uma ‘Usina de Sonhos’, pois é através de um aprendizado diferenciado que formamos cidadãos conscientes e preparados para o futuro. Orgulho-me em ter dividido com meu pai Carlos (já falecido) e com minha mãe Virginia, grandes entusiastas da Educação, e com essa equipe maravilhosa, as conquistas alcançadas!”

As surpresas e as emoções dos bastidores não pararam por aí, porque a cada entrevista era uma história de vida, de superação, de amor, e de outros projetos que impactaram a história de cada colaborador. Tenho convicção de que uma adequação não transforma, nem faz crescer apenas a empresa, mas também a quem a adequa e, o bom é que como DPO/Encarregada de dados, poderei fazer parte e acompanhar cada novo projeto e cada nova tecnologia adquirida ou novo procedimento que será implantado.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *