Notícias

PROGRAMA JOVEM AGRICULTOR APRENDIZ JÁ CAPACITOU 685 ALAGOANOS

Créditos: Senar

Turma de Eletricista Rural da Usina Caeté

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Alagoas – capacitou 685 jovens desde 2012, quando iniciou as atividades do Programa Jovem Agricultor Aprendiz – JAA. Realizado em parceria com indústrias do estado, o programa oferece cursos de Administração Rural, Avicultura Básica, Eletricista Rural e Mecanização Agrícola. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento dos jovens no meio rural e incentivar o trabalho no campo.

A solenidade de formatura mais recente do JAA aconteceu na última sexta-feira, 18, na Escola Conceição Lyra, localizada na Usina Caeté, município de São Miguel dos Campos. 20 alunos concluíram o curso de Eletricista Rural, a maioria filhos de funcionários da empresa.

Segundo Marta Santos, mais de 50 aprendizes já foram contratados como profissionais na Usina.

“Estamos contribuindo para o crescimento desses jovens enquanto pessoas e profissionais. Os resultados têm sido satisfatórios e, desde 2010, quando aderimos ao programa, mais de 50 jovens aprendizes já foram efetivados como colaboradores da usina. É um trabalho extremamente gratificante”, afirma Marta Santos, gerente de Gestão de Pessoas da Caeté.

O Programa Jovem Agricultor Aprendiz auxilia as organizações no cumprimento da Lei 10.097, de 2000, que obriga toda empresa de médio ou grande porte a compor de 5% a 15% do seu quadro de colaboradores com jovens de 14 a 24 anos, na condição de aprendizes. Os cursos do JAA têm carga horária total entre 800 e 960 horas. As empresas selecionam os alunos, por meio de provas de português, matemática, redação e entrevista.

“O Senar se responsabiliza por toda a parte teórica do curso, que envolve comunicação oral, relações interpessoais, cidadania, matemática, informática, além dos conteúdos específicos da profissão escolhida”, explica a coordenadora de cursos do Senar Alagoas, Graziela Mendes Freitas.

Matheus Marcelino: “Nosso primeiro visto na carteira veio graças à Usina Caeté e ao Senar”

Aos 19 anos, Matheus Marcelino comemora não só a oportunidade de aprendizagem, como os laços afetivos criados durante o curso. “Estar aqui é muito mais do que sempre sonhamos. Desde o momento em que participamos do processo seletivo, tínhamos esperança de que iriamos conseguir, mas jamais passou por nossa cabeça que seríamos tão bem acolhidos. Agradecemos pela paciência, por estarem ao nosso lado e nos ensinarem com tanto carinho. Muito obrigado por confiarem na gente. O nosso primeiro visto na carteira de trabalho veio graças à Usina Caeté e ao Senar. Levaremos daqui todos os ensinamentos e a amizade de vocês”, comenta.

Ex-jovem aprendiz, Kíssia Rafaele hoje é eletricista industrial na Caeté.

Kíssia Rafaele, 26 anos, sabe bem a importância de ser um jovem aprendiz. Ela deu esse primeiro passo aos 17 e acabou contratada pela Usina Caeté, onde está há pouco mais de seis anos. Kíssia iniciou as atividades na empresa como auxiliar eletricista e agora é eletricista industrial. Estudiosa, concluiu a graduação em Engenharia Elétrica em meados ano passado, o que certamente abre novas perspectivas. “O Programa de Jovem Aprendiz foi a oportunidade que encontrei para ingressar no mercado de trabalho. Naquele momento eu nem sabia em que área queria atuar, só queria mesmo trabalhar. E foi a melhor oportunidade que tive, tanto que estou aqui até hoje”, diz.

 

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *